16 maio 2009

A melhor mãe do teu bebé és tu

Ser mãe não é nada fácil.
Ser pai também não deve ser, mas sobre isso já não posso falar na 1ª pessoa.
Repito, ser mãe não é nada fácil. Os bebés sempre me acharam piada, eu julgava que era por acharem piada aos meus cabelos, longos e despenteados. Quando pari percebi que não era bem isso, os bebés olham para mim e reconhecem as suas próprias mães no 1º instante em que as conheceram, de olhos brilhantes e o cabelo em desalinho :).
Fora de brincadeiras, estava no outro dia em conversa com uma jovem e recente mãe que me dizia que nunca niguém lhe tinha dito que os primeiros tempos a seguir ao parto eram assim. Que até já tinha acompanhado algumas mulheres e seus bebés e nunca tinha percebido o turbilhão do pós-parto.
O pós-parto é um periodo lindo, o culminar de uma gravidez que se espera tenha sido muito feliz, e o acolher de um bebé maravilhoso. Mas não é um periodo cor-de-rosa, a não ser alguns anos mais tarde quando olhamos para trás com saudade.
Parece blasfémia dizer isto, parece que somos mães terríveis por dizer isto, parece que não amamos os nossos filhos o suficiente, parece tanta coisa e todas elas pesam cada vez mais nas nossas consciências.
Ninguém diz que se sentiu triste sem saber bem porquê...
Ninguém diz que duvidou vezes sem conta se seria capaz de tomar conta daquela dádiva maravilhosa acabada de entrar na sua vida...
Ninguém diz que se sentia tão cansada que não conseguia tomar conta de si, quanto mais de um bebé.
Ninguém diz que muitas vezes lhe apeteceu fugir e ter 5 minutos para si, e só para si.
Ninguém diz que precisou de colo...e de mimos...e de atenção...e de amor...tanto como o seu filhote.
Só nos falam de como tudo foi maravilhoso, feliz e mágico e ainda dão umas dicas e opiniões com tais certezas que até parece que se convencem que podiam ser melhores mães dos nossos filhos que nós. Mas não duvidem nem por um segundo, os melhores pais para os vossos filhos são vocês.
A segurança com que vos falam é só aparente, quando passaram por isso estavam tão desnorteados como vós, tinham tantas dúvidas como qualquer um.
A responsabilidade de tomar conta deste novo ser é realmente uma grande mudança na vida, até agora só tínhamos de tomar decisões por nós, e arcar com as consequências dessas decisões. Agora este bebé depende de nós para tomarmos conta dele, e é difícil para nós a constante incerteza de tomarmos a decisão mais acertada para aquele pequeno ser. A insegurança instala-se e parece que nem o instinto de mãe nem o 6º sentido feminino nos vale.
Se me permitem dar uma dica;)... ter calma é o essencial. As vossas opções podem ser diferentes de quem vos rodeia, mas o vosso bebé também é único. Ouçam as vossas mães, tias e avós apenas Q.B. e aprendam o que de melhor tiverem para vos ensinar, de resto façam o que sentirem que é melhor para os vossos filhotes e confiem no vosso instinto. Confiem nos vossos filhotes, eles sabem sem sombra de dúvida o que é melhor para si mesmos. E tenham fé, quando sentirem uma pontinha de desespero, acreditem que é só uma fase, e as fases dos bebés duram apenas uns dias, sem darem por ela vão sentir-se cada vez mais confiantes e serenas.
Mãe há só uma, e és tu :).

5 comentários:

Artur Vaz Oliveira disse...

Vi o blogue todinho. Estou mais confuso. Deve ser bom sinal!
Vou estar atento ao que tens para dizer. Em todo o caso, tenho tb um "armário com tudo o que é necessário(...)" para restabelecer a normalidade...;-)
bj

mjf e pmp disse...

Olá! Ainda só conhecia o blog da aprendiz de feiticeira e o Como explicar ao mundo :) Vi o url nas gravidasemforma (Cat) e resolvi dar uma espreitadela! Continuas fantástica ;)
realmente já esperava o turbilhão enquanto grávida, porque também há os que gostam de "pintar a manta demasiado negra", a única coisa que me surpreendeu foi a amamentação: não esperava ser tão doloroso e difícil, mas também foi só no 1º mês: agora há 4 meses que dou maminha e não queremos outra coisa! ehehehe!
beijinhos,
moya

Alexandra e Pedro disse...

Olá,cheguei ao teu blog através da minha melhor amiga, e deixa me dar os parabéns!!
Tudo o que descreves neste post é a mais pura das verdades. Uma conselheira de amamentação já me havia dito que cada uma de nós é que sabe o que é melhor pró nosso bebé!

Eu tenho um bebé de 6 meses, e acredita que não fazia ideia que era tão complicado, sobretudo o início (pois depois vamos ganhando a prática), cheguei a pensar "Meu Deus em que é que me fui meter?" e como me senti mal por pensar isso...mas uma coisa é certa, desde que fui mãe que tenho alertado as minhas amigas grávidas pra se prepararem, tento fazê lo sem lançar o pânico como é óbvio, mas aviso que sobretudo as 2 primeiras semanas são de fugir, pois são as sensações de incerteza, o cansaço extremo, as novas rotinas, e tudo e tudo e tudo!
e sim, tudo passa e nós vamos ficando pró!

PArabéns pelo texto e vou passando mais vezes!

Beijinhos
Xana

Carla disse...

Olá! Não poderia deixar de dar os PARABÉNS pelo magnífico testemunho que nos deixaste. Foi das coisas mais lindas e verdadeiras que alguma vez li. Fiquei mesmo comovida, corri a ler ao meu marido e disse de imediato à minha melhor amiga para o ver. Sou uma mãe recente, o Martim faz hoje 2 meses e vivi todos os sentimentos que descreves...

Uma vez mais, parabéns!!! Vou, com certeza passar mais vezes.

MicasMariana disse...

A tod@s, muito obrigada pelos elogios.
Voltei agora a ler este meu texto, agora com a minha filhota com 1 ano, e até eu acho que acertei na mouche :) ! E que preciso de o voltar a ler de vez em quando, quando as dúvidas me voltam a assaltar :) !